Quando os sonhos ganham asas - Amor de família pelo transporte público

Publicidade

Quando os sonhos ganham asas

Jean Back cresceu se espelhando na figura do pai, o motorista de ônibus José Back, e acabou virando seu colega de trabalho

Jean Back, 27 anos, mal sabia formular as palavras corretamente e já avisava a família o que queria para o futuro: estar na direção de um ônibus, conduzindo outras pessoas. Quem lembra essa história é a mãe dele, a cobradora de ônibus Leila Alves da Silva, 45 anos.

Segundo ela, era um trocadilho no melhor “estilo Cebolinha de ser”: “Ele dizia todos os dias, ‘eu quelo ser motolista’”, diverte-se a mãe, recordando a fala de Jean aos 3 anos de idade, quando trocava as letras e seu jeito atrapalhado de falar se assemelhava ao do personagem de Mauricio de Sousa nas histórias em quadrinhos.

A inspiração do garoto, afirma Leila, era o pai, o motorista José Derlei Schmitz Back, 50 anos e mais de duas décadas trabalhando na Viação Santo Angelo.

“Ele mirou o exemplo do pai, ama a profissão. É tão lindo vê-lo dirigindo aquele ônibus”, afirma a mãe.

Reza a lenda que o primeiro passo para concretizar um objetivo, é sonhar. Quando chegou à maioridade, Jean se tornou colega dos pais na empresa, onde começou como cobrador. Quatro anos depois, aos 23, estava realizando parte de seus projetos pessoais. Hoje ele é um dos motoristas que atuam nas linhas São Dimas e Jardim Eucalipto, que circulam pelos bairros de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba.

Mas o jovem planeja voar mais alto ainda, literalmente falando: “Quero ser piloto de avião”, afirma. Disciplinado e comprometido, Jean conta que adora a correria e a agitação que a rotina profissional lhe proporciona. Outro ponto gratificante, enfatiza, é o convívio com os passageiros.

“Eu gosto dessa adrenalina do dia a dia, de estar em contato com as pessoas”, destaca.

Para a mãe, cada curva e cada quilômetro rodado são motivos de celebração, segundo Leila:

“O que mais me marcou nesses anos todos foi ver o crescimento profissional do meu filho. É muito emocionante ver tudo o que a gente construiu trabalhando juntos, os três na mesma empresa”.

>>> Conheça outras histórias do Gente que Move.

Conte sua história!

Você também tem uma história legal envolvendo o transporte público da região metropolitana de Curitiba? Conheceu o amor da sua vida? Ajudou alguém que precisava muito? Usou o ônibus para estudar, ir ao trabalho e mudar de vida? Encontrou conforto, amizade e construiu uma história inesquecível com alguém? Conte pra gente, que o seu “causo” pode virar uma reportagem.

Envie sua história e seu contato de telefone para o email cacadores@tribunadoparaná.com.br ou pelo whats (41) 9 9683-9504 sinalizando a mensagem com a #gentequemove.