Amor pelo ônibus é coisa de família - Gente que Move

Publicidade

Família conectada pela vida e pelo transporte

Pai, mãe e filho dividem a profissão e as histórias vivenciadas com os passageiros de ônibus em Fazenda Rio Grande e Curitiba

Eles poderiam ter cogitado formar uma dupla caipira: Valdeci e Valdineia. Mas, em vez de cantar, preferiram encantar os passageiros das linhas de ônibus que atendem o município de Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba.

Valdeci Ribeiro, 50 anos, é motorista de ônibus da linha Ligeirinho nos trajetos Fazenda Rio Grande-Curitiba e Fazenda Rio Grande-Pinheirinho. Valdineia Fernandes Ribeiro, 44 anos, trabalha como cobradora na linha Santa Terezinha.

Além do contato diário com os passageiros e do amor pela profissão, eles também são cúmplices de vida e de jornada. Juntos há 31 anos, são pais do Rafael, 28 anos, que seguiu os passos de Valdeci e que também é motorista de ônibus, e de Rogério, 24 anos, que enveredou pelos lados da gastronomia.

Funcionários do Grupo Leblon Transporte, uma das empresas responsáveis pelo transporte público na Região Metropolitana de Curitiba, Valdeci, Valdineia e Rafael se dedicam a tornar mais suave o caminho de outras pessoas. Para eles, as curvas e os percalços da pista sempre podem ser amenizados com uma saudação alegre e um sorriso amistoso.

Mãe e filho têm uma história de amor em família pelo ônibus. Foto: Arquivo Pessoal

Bastante comunicativa, Valdineia é daquelas que toda semana chega em casa com presentinhos e lembranças dos passageiros. Pano de prato bordado, chocolate e até chicletes são algumas das formas de carinho que ela recebe diariamente no trabalho.

A cobradora diz ter perdido a conta dos amigos que fez e das histórias marcantes que serviu como ouvinte.

“Às vezes os passageiros só precisam de um sorriso”

Valdineia, que relutou em trocar o trabalho em uma metalúrgica pela função de cobradora há oito anos, ri da situação.

“Eu brinco que tenho um imã. As pessoas sentam perto de mim para puxar conversa e contar suas histórias”,

Valdeci, que até 2007 trabalhava como motorista de caminhão, encontrou na nova função uma forma de estar mais perto da família e assim ver os filhos crescerem. E foi a proximidade com o trabalho do pai que despertou a vontade de Rafael seguir o mesmo caminho.

O jovem comenta que entrou na empresa como aprendiz, ainda na adolescência.

“É uma honra e motivo de muita alegria trabalhar na mesma função que meu pai e junto com a minha mãe”

Depois foi responsável pela higienização dos veículos, manobrista, auxiliar de mecânico e há dois anos integra o quadro de colaboradores.

“Transportar pessoas exige muita responsabilidade e comprometimento”.

Rafael e Valdeci: paixão pelo transporte coletivo tá no sangue. Foto: Arquivo Pessoal

Conte sua história!

Você também tem uma história legal envolvendo o transporte público da região metropolitana de Curitiba? Conheceu o amor da sua vida? Ajudou alguém que precisava muito? Usou o ônibus para estudar, ir ao trabalho e mudar de vida? Encontrou conforto, amizade e construiu uma história inesquecível com alguém? Conte pra gente, que o seu “causo” pode virar uma reportagem.

Envie sua história e seu contato de telefone para o email cacadores@tribunadoparaná.com.br ou pelo whats (41) 9 9683-9504 sinalizando a mensagem com a #gentequemove.

Leia também!

>>>