O talento de rir para a vida; associação leva alegria a quem precisa

O talento de rir para a vida; associação leva alegria a quem precisa

Associação Nariz Solidário atua há dez anos em serviços de saúde de Curitiba promovendo a saúde mental dos pacientes. Crédito: Daniel Castellano
Associação Nariz Solidário atua há dez anos em serviços de saúde de Curitiba promovendo a saúde mental dos pacientes. Crédito: Daniel Castellano

Associação Nariz Solidário atua há dez anos em serviços de saúde de Curitiba promovendo a saúde mental dos pacientes.

Por Hellena César, especial para Tribuna do Paraná

Tendas coloridas, rostos pintados, risadas e nariz vermelho geralmente é o que vem à mente quando se fala na arte da palhaçaria. E foi sabendo da importância de um sorriso e da leveza nas relações que a Associação Nariz Solidário resolveu usar a imagem do palhaço para ir muito além da comédia e atuar como um centralizador de transformação social. 

Minha cidade é o meu mundo

Eduardo Roosevelt, presidente e fundador da instituição, explica que as ações do Nariz Solidário são desenvolvidas para atender pacientes em serviços de saúde como Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) de áreas onde não há investimentos em projetos culturais. A partir de seus conhecimentos de gestão, ele percebeu oportunidades importantes para aplicar ferramentas de gestão para melhorar a atuação do palhaço no contexto da saúde. 

Também são realizados projetos em escolas e empresas abordando assuntos sociais como preconceito, igualdade de gênero e outros temas relevantes para cada público, além de destacar a importância de dar atenção à saúde mental e a importância do autocuidado. Os voluntários buscam promover a saúde e o bem-estar, ampliando o acesso à arte e à cultura de forma descentralizada, democrática e acessível agindo de forma ampla na sociedade.  

Os voluntários buscam promover a saúde e o bem-estar, ampliando o acesso à arte e à cultura de forma descentralizada, democrática e acessível agindo de forma ampla na sociedade.  

Um relatório lançado da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou que o envolvimento com a arte pode ser benéfico para a saúde mental e física. O levantamento analisou evidências de mais de 900 publicações globais e demonstrou que o contato com a arte tem o poder de promover a saúde além de prevenir, lidar e tratar problemas físicos e mentais. 

Legenda: Associação já realizou ações presenciais para mais de 130 mil pessoas em 1,3 mil eventos em diferentes espaços. Crédito: Ariane Amaral

EXPERIÊNCIA 

Este ano, a Associação Nariz Solidário celebra dez anos de história agindo de forma ativa na vida de inúmeros curitibanos. “Nós trabalhamos com a perspectiva emocional e sensorial do encontro, subvertendo o que é o palhaço, sem clichê. É uma oportunidade de desacelerar, de encontrar soluções para diversos problemas”, conta Roosevelt.  

O Nariz Solidário já realizou ações presenciais para mais de 130 mil pessoas em 1,3 mil eventos em diferentes espaços. O grupo trabalha hoje com uma equipe voluntária com cerca de 40 pessoas. Todas passam por um processo seletivo e de capacitação antes de atuar nos projetos. Segundo a associação, mais de 200 profissionais e voluntários já participaram dos treinamentos e capacitações. A ideia é promover experiências e treinamentos com técnicas da palhaçaria e da arte que estimulem o olhar, a escuta, a empatia e o trabalho de toda a equipe. 

>>> Leia mais matérias do Especial Minha Cidade é meu Mundo

“A risada, a alegria são importantes. Mas tentar transformar a vida de outras pessoas de uma maneira mais efetiva, possibilitando o contato com vários tipos de arte e também democratizando a cultura é o nosso maior desafio”, afirma o fundador. Segundo ele, atualmente 70% do público atendido é adulto, mas cada ação depende das especificidades de cada serviço de saúde e da proposta a ser trabalhada. 

Legenda: Os projetos são realizados em serviços de saúde de Curitiba e Região Metropolitana.  Crédito: Divulgação
Legenda: Os projetos são realizados em serviços de saúde de Curitiba e Região Metropolitana.  Crédito: Divulgação 

EMOÇÃO 

Para a enfermeira Rosane Kraus, que atualmente responde pela gerência assistencial do Hospital Municipal do Idoso Zilda Arns em Curitiba – um dos hospitais atendidos pelo projeto, é nítida a diferença do paciente quando os voluntários estão presentes. “Quando os integrantes do Nariz Solidário passam pelo hospital, trazem alegria junto com eles. É possível perceber os sorrisos e as expressões nos rostos dos pacientes”, observa.  

A associação já foi reconhecida e premiada diversas vezes.  Em 2022 e 2023, com as práticas realizadas no projeto Encontros e Risos, além de outros dois prêmios nacionais: o Prêmio Melhores ONGs – entre as 10 melhores ongs de pequeno porte do país – e o Prêmio VOL – vencedor com uma das melhores práticas de gestão de voluntários do Brasil. 

NOVIDADES 

Esse ano, o grupo irá expandir a sua área de atuação para a Região Metropolitana de Curitiba, iniciando programas na Maternidade São José dos Pinhais, em UPAs da Fazenda Rio Grande e no Hospital Infantil Waldemar Monastier, em Campo Largo.  

Além disso, em abril a Associação Nariz Solidário lançará o livro Relato de Palhaços, que conta histórias de pacientes e colaboradores nessa jornada de tratamento, descobertas e muito aprendizado.